23/08/2017

Por que me vens?

Se não és a minha pessoa,
por que me vens?

Tão abundante em nuvens,
fumaças e flores do bem?


h.f.
23 ago./2017

   

À moda de


Não lhe dedicaria
tamanho afeto
se Outro...

Sim...
Intuía ser a sua
pessoa;

Ainda que não...


Penélope,
23 ago./2017


22/08/2017

Moradia

Desejava uma metáfora
em que pudesse morar:

Se fez arco-íris
turvando a
chuva

Ora gaivota
velando

o mar


h.f.
22 ago./2017


Sutilezas enganam...

Se o devir é incerto
qualquer expressão 
de afeto 
faz explodir o verso

proezas da sensação


h.f.
22 ago./2017


21/08/2017

Birra

Do eclipse,
só soube a notícia

O ser_tão hoje fez
birra,

tempo fechado


Penélope,
21 ago./2017


Quisera arder...

Morrer de amor na calma
do desassossego

Pois não é a você que ardejo
Entranho a alma do corpo
objeto de desejo

É o reflexo do meu desenredo;
― oceanos de onde a dor
arquejo


h.f.
21 ago./2017


20/08/2017

Sem fim

(...) mas eu tenho o direito de gostar sem que gostem de mim,
e também o de chorar, que não se negue a ninguém.

Maria José
(heterônimo de F. Pessoa),
em Carta ao Sr. António.


Era um amor
tão bonito...
tão lindamente
sentido...

Não deveria
ser permitido
amar assim

tão 
sem

fim


h.f.
20 ago./2017


"O sonhador, em seu devaneio, não consegue sonhar diante de um espelho que não seja profundo."

(Gaston Bachelard)